02 janeiro 2007

O Leiloeiro !





Com redobrados desejos de um bom Ano Novo para todos, reiniciamos hoje mais uma viagem pelas memórias da nossa terra.

Quem não se lembra desta figura particularmente peculiar, que desempenhava a tarefa de vender rifas nos intervalos dos bailes ? Pois é, ele pegava naquele molhinho de pequenos pedaços de papel com formato rectangular numerados em escrita manual de dez em dez números e lá se punha a apregoar a todos os circunstantes as esmeradíssimas qualidades do prémio a ser sorteado, onde a galinha corada, o coelho guisado, batatas fritas, vinho e alguma fruta da época , marcavam presença.

Depois de todas as rifas serem vendidas era o momento do sorteio! Aí recorria-se normalmente a uma criança que desse mostras de inocência nestas coisas de sorte e azar e  de dentro de um saco lá retirava o tão ansiado número, Depois já se vê, o baile tinha terminado ali para os felizes contemplados... pois um manjar destes, raramente lhes passava pelo "estreito". 

Nesta fotografia podemos identificar um dos últimos leiloeiros de bailes do Pombalinho, durante um que se realizou no ano de 1964 na esplanada do café do Chico Minderico, era ele de seu nome Zé Maria e na circunstância estava coadjuvado na distribuição das rifas pelo João Melão e o Carlos “Paipão”. 


Nota – O autor deste blog pede naturalmente às pessoas visadas, a sua comprensão para o facto de se recorrer a nomes ou “alcunhas”, pelos quais as pessoas eram ou são ainda conhecidos no Pombalinho, só e apenas com o intuito de uma melhor identificação das mesmas. 

Fotografia_Guilherme Afonso
Texto_Guilherme Afonso/Manuel Gomes  








2 comentários:

Pedro Melão disse...

é com muito orgulho que aqui vejo uma foto do meu pai (João Melão)
muito obrigado e bem hajam.

MGomes disse...

Pedro Melão
Obrigado pelas tuas palavras. Este espaço é de todo os Pombalinhenses por isso aparece sempre. Se tiveres algum material documental que aches importante ser publicado aqui no pombalinho, está à vontade.
Um Abraço