16 julho 2009

As cheias!


Nas referências que aqui temos feito às cheias do Pombalinho, tem sido nossa intenção proporcionar aos visitantes um olhar distante mas simultaneamente presente  sobre este acontecimento natural que periodicamente assola o Pombalinho. É impossível não se falar das cheias, sem algum sentido romântico ou até mesmo nostálgico, tais as histórias que foram contadas pelas mais diversas gerações que tiveram de viver com elas nesses tempos de invernos extremamente rigorosos! Felizmente por acção de muitos colaboradores desta página, a nossa galeria de imagens já é muito considerável, mas mesmo assim e bem, não param de nos chegar outros registos de rara beleza e de momentos únicos, como é o caso dos que hoje publicamos, gentilmente cedidos por Pedro Menezes.



Cheia 1

Excelente fotografia tirada do cimo da torre da igreja no dia 01 de Abril de 1952. Podemos ver os efeitos dessa cheia que chegou a entrar no recinto da própria igreja e alagou toda a zona adjacente da rua Manuel Monteiro Barbosa.




Cheia

Outra fotografia tirada da torre da igreja, vendo-se ao fundo a quinta de Fernão Leite.





Cheia 3

Mais uma excelente fotografia tirada nesse mesmo dia de 01-Abril-1952 do cimo da torre da igreja, vendo-se o casario entre os prédios do Manuel Bispo e do Américo Cachado. Ao longe o cabeço dos Chões.




Cheia 2

Imagem bem elucidativa do nível que a cheia atingiu nos campos do Pombalinho !






Cheia 5

Excelente fotografia!





Cheia 4

Rua Barão de Almeirim, onde a cheia atingiu níveis anormais.






Cheia 8

Cheia de 1940/41 na rua António Eugénio de Menezes.

Foto tirada por António Menezes e cedida gentilmente pelo seu filho António Carlos BN Menezes.





Cheia 7

Rua António Eugénio de Menezes. Momento em que Joaquim Pedro de Menezes se deslocava de barco junto ao local onde, curiosamente, existe hoje o Parque de Jogos e Lazer do Pombalinho.



À excepção da foto referenciada para o efeito, todas as outras foram cedidas gentilmente por Pedro Menezes     




Colaboração de Bruno Cruz e Joaquim MB Mateiro. 








Sem comentários: