06 janeiro 2010

Pombalinhenses na 1ª Grande Guerra I



1ª Grande Guerra

Em 9 de Março de 1916 a Alemanha declara guerra a Portugal, no contexto da 1ª Grande Guerra Mundial, ocorrida entre 28 de Julho de 1914 e 11 de Novembro de 1918.
Na primeira etapa do conflito, Portugal participou militarmente com o envio de tropas para a defesa das colónias africanas ameaçadas pela Alemanha. Mais tarde, em 1917, as primeiras tropas portuguesas do Corpo Expedicionário Português seguiam para a Europa, em direcção à Flandres. Portugal envolveu-se, depois, em combates em França.

Neste esforço de guerra, Portugal chegou a ter mobilizados quase 200 mil homens. As perdas atingiram quase 10 mil - mortos e milhares de feridos.

Do Pombalinho, a exemplo do que aconteceu por todo o país, partiram para a frente deste conflito militar também alguns dos seus "filhos"! Nesta fotografia, cedida gentilmente por José B Barrão, recordamos precisamente uma reunião de confraternização, realizada em 09 de Abril de 1955, de antigos combatentes pombalinhenses da 1ª Guerra Mundial.

Reconhecem-se na segunda fila e da esquerda para a direita,  Manuel Braz,  Francisco Franco,  Augusto Anastácio, Augusto Pereira Lazão,  João Braga, João Fernandes, António Francisco Correia, Manuel Joaquim Tadeia e  José Narciso. Na primeira fila, e da esquerda para a direita, Carlos da Jacinta Rodrigues, Pedro Gregório,  na terceira posição  Hermínio Correia Minderico na qualidade de  presidente da Junta de Freguesia do Pombalinho, António Rato, Artur Rosa e Manuel Frade.


Colaboração fotográfica_José Braz Barrão
Colaboração e pesquisa_Bruno Cruz






15 comentários:

Guilherme Afonso disse...

Seria de inestimável valor conseguir-se identificar todos os figurantes. Entre os mortos nessa guerra, lembro-me, de ouvir dizer, que um deles era irmão da senhora Luísa, mulher do Manuel Sacola que foi hortelão na Quinta Fernão Leite.
As minhas felicitações ao José Brás Barrão pela colaboração que está dar ao ManuelGomes.
Um grande abraço para cada um.
Guilherme Afonso

Anónimo disse...

É com alguma surpresa que leio este comentário, pois não me lembro de ouvir falar neste tio, mas certamente o meu pai saberá mais alguma coisa sobre ele, apesar dele ter morrido antes do meu pai ter nascido, mas eu vou indagar. Obrigado. Luísa Sacola.

Anónimo disse...

MGomes, Obrigado por divulgares este bonita foto sobre os Combatentes. Venho informarte que na sexta posicao e o meu avo JOAO FERNANDES, pai de CHICO da Mariana grande amigo de teu Pai e nao Joaquim B. Mateiro. E na fila da Frente na 3 posicao esta o Herminio Mendrico.
Um obrigado por tudo.
Jorge Fernandes

MGomes disse...

Caro Guilherme Afonso

Inteiramente de acordo consigo! Seria históricamente valioso, sabermos a identificação dos pombalinhenses que estiveram presentes neste conflito mundial assim como os registados nesta confraternização realizada em 1955!

Um Abraço, caro Amigo

MGomes disse...

Olá bom dia, Luísa!

Agradeço-lho imenso essa sua investigação e que depois me comunique o seu resultado! Considero que era extremamente valioso, conseguirmos a identificação destes nossos conterrâneos que participaram na 1ª Grande Guerra!

Um Abraço
Manuel Gomes

MGomes disse...

Caro Jorge Fernandes!

Obrigado pela informação! Irei inserí-la no texto que dá suporte à respectiva fotografia!

Um Abraço
Manuel Gomes

Anónimo disse...

Ola. MGomes.
Mais uma vez um muito obrigado e aqui vai uma ideia deste teu amigo residente na Australia, visto ires mais vezes ou Pombalinho que eu porque nao arranjas uma fotografia e levas ate a JULIA do CAFE e tenho quase a certeza que Ela te dira todos os nomes dos que se encontram na respectiva Foto

Um Abraco
Jorge Fernandes

Anónimo disse...

Obrigado Manuel, mas até agora a minha mãe identificou na foto o meu tio Manuel Bráz, marido da minha tia Adelaide e pai do meu primo João Alfaiate, que está na segunda fila primeiro à esquerda, o tio do meu pai morreu na guerra e segundo consta nunca voltaram os restos mortais, mas recebiam uma pensão por este acontecimento penoso.

MGomes disse...

Caro Jorge Fernandes!

Agradeço-te mais esta identificação sobre combatentes da nossa terra que estiveram na 1ª Grande Guerra!

Um Abraço
manuel Gomes

Guilherme Afonso disse...

Caro Manuel Gomes, ainda sobre a histórica foto dos pombalinhenses participantes na Primeira Guerra Mundial e para que todas as contribuições serão muito bem-vindas, diz o Jorge Fernandes que o 3.º na fila de baixo é o Hermínio Minderico. Realmente, ao procurar reconhecê-los, aquele pareceu-me o Hermínio Minderíco, mas como ele, pela sua idade, não podia ter andado nessa Guerra, descartei a hipótese. Ter-se-á juntado, portanto, aos combatentes naquele dia. Já o pai dele, o Henrique Minderico, esse sim, teria idade para lá ter andado. Assim como qualquer dos seus irmãos: o Máximo, o António e o José. Pode muito bem ser, por conseguinte, que algum deles também esteja na fotografia.
Já depois de ter inserido o meu anterior comentário, ocorreu-me outro aspecto dessa Guerra: o uso de gases intoxicantes, pelos alemães. Muitos dos que andaram nessa guerra - assim como, muito provavelmente, as populações das zonas onde eles foram deitados - sofreram as consequências disso.
Do Pombalinho, pelo menos um dos que andou nesses campos de batalha veio de lá gaseado e sofreu disso para o resto da vida. Foi o Augusto Pereira, mais conhecido por Augusto Lazão, pai do Guilherme Pereira (Guilherme Lazão), que faleceu com vinte e poucos anos, e do Joaquim Pereira (Joaquim Lazão). Sob o efeito dos gases, algumas vezes o vi a discursar na rua, para o que arranjava algum banco e se punha em cima dele, ou procurava algum ponto mais elevado. Creio que isso acontecia mais aos Domingos à tarde, pelo que talvez ele nessas alturas estivesse também sob a influência de algum copito tomado na praça (a melhadura, por exemplo). E, pelo que me lembro de ter ouvido, até chegava a sair de casa nu, acho que à noite.
Em 1955, talvez já tivesse falecido, pelo que não estará na fotografia.
Melhadura, termo que não vi em nenhum dicionário, era a bebida (0,5 l. de vinho ou de água-pé aos homens; 0,25 l. às mulheres) que os patrões concediam aos trabalhadores, como que selando o contrato, depois de estabelecido o acordo de trabalho, na “praça”, aos Domingos, para a semana seguinte. Depois de aceite a melhadura, o trabalhador não poderia já mudar de patrão.
Poderá tratar-se de uma corruptela de molhadura, termo ao qual, embora figure nos dicionários, não é dado exactamente o mesmo significado que nós dávamos a melhadura. É, porém, o termo que mais se aproxima, ao ser-lhe dado o significado de gorjeta e apresentá-lo como sinónimo de molhadela. Mas também podemos muito bem não estar mais que perante um regionalismo (vocábulo ou expressão regional).
O quinto, da esq. para a dir., na linha de baixo, faz-me lembrar o António Condeço (António Rato). Será?
Um abraço.
Guilherme Afonso
(Escrito em 09/01/10)

victor disse...

Nessa Guerra de França esteve tambem o meu avo Manuel Joaquim Tadeia talvez o Julio Gabriel o consiga identificar.
Victor Borges da Costa

MGomes disse...

Caro Amigo Guilherme!
Obrigado por mais esta achega sobre a identidade dos retratados que estiveram presentes neste dia de confraternização de antigos combatentes da 1ªGrande Guerra!Sobre a melhadura!!! Que bom é podermos ler estes seus valiosos testemunhos, carregados de tamanhas dificuldades para quem os viveu!Esses tempos eram sem dúvida alguma, muito difíceis!!!A fraternidade e a solidariedade entre os homens, foram inegávelmente valores fundamentais para a sobrevivência de muitas dessas famílias que tiveram de se sujeitarem a tão grande amargura social!!!

Um Abraço

MGomes disse...

Caro Victor!

Agradeço-te a visita assim com a sugestão que aqui deixas!


Um Abraço

Anónimo disse...

Caro amigo MGomes,
Ao chegar ao nosso querido e inesquecivel Pombalinho fui ter com o nosso amigo Antonio Jose Bras mais conhecido por (escravelho)ao qual mostrai a tao famosa foto dos grandes homens de 14/18 ao qual consegui obter os seus nomes.
Na fila de tras
Da esq. temos em 1º. Manuel Bras, 2º. Francisco Franco, 3º. Augusto Anastacio, 4º. Augusto Pereira Lazao, 5º.Joao Braga, 6º. Joao Fernandes, 7º. Antonio Francisco Correia, 8º. Manuel Joaquim Tadeia, 9º. Jose Narciso.
Na fila de Frente,
Da esq. temos 1º. Carlos da Jacinta Rodrigues, 2º. Pedro Gregorio,3º. Herminio C. Mendrico (como Presidente da Junta),5º. Antonio Rato, 6º. Artur Rosa. Penso que estara tudo bem.
Um grande abraco e parabens pelo teu site.
JORGE FERNANDES

MGomes disse...

Caro Jorge Fernandes

Muitissimo obrigado pela colaboração na identificação dos pombalinhenses que estiveram presentes na 1ª Grande Guerra!
Já alterei a publicação conforme sugerido!

Um Abraço!