27 abril 2009

Hilário José Barreiros


Na vida recente do Pombalinho, vários seus presidentes de Junta de Freguesia decidiram identificar algumas das ruas da autarquia com nomes de personalidades pombalinhenses!

O intuito terá sido, como é normal nestas atitudes oficiais, para lhes prestar um reconhecimento público por actividades exercidas ao serviço do interesse colectivo da comunidade. Quem hoje passa por essas artérias interroga-se ,com toda a pertinência, sobre quem foram exactamente e que relevância histórica tiveram na vida dos pombalinhenses  essas pessoas que têm a honra  de figurarem na respectivas placas toponímicas.









Rua Hilário José Barreiros é uma delas! Não existe muita informação sobre a sua vida e particularmente sobre a actividade que exerceu como proprietário agrícola, mas por testemunhos documentais a que tivemos acesso, comprova-se a influência que teve na vida de muitos Pombalinhenses

Com efeito e por colaboração do seu bisneto Fernando Furtado Barreiros no envio do texto e documentos a seguir publicados, foi-nos possível compilar aqui no "Pombalinho", matéria suficientemente importante e enriquecedora para conhecermos um pouco da personalidade desse ilustre benemérito que foi Hilário José Barreiros.  














Com referiu Fernando F Barreiros na biografia de Hilário José Barreiros, uma carta do Barão de Almeirim, Manuel Nunes freire da Rocha, que lhe foi dirigida em 15 de Maio de 1880, é sintomáticamente esclarecedora quanto às suas qualidades de caracter que o seu "amigo sincero e verdadeiro" possuía. Escreveu ele então:


"Tu tens sido sempre meu amigo sincero e verdadeiro, tens-me servido sempre com interesse e dedicação, apesar de sair para fora do país não me posso esquecer dos teus bons serviços, não te quero abandonar e pelo contrário te quero dar uma prova de que te estou grato por tudo o que por mim tens feito e para isso lembrei-me de reservar a Quinta do Outeiro para ti e arrendar a longo prazo por uma renda razoável a fim de te poderes assim estabelecer por tua conta e não teres de ir servir algum nono amo que não saiba apreciar o que tu vales e que não te trate como tu mereces ser tratado.."




Nesse mesmo documento, o Barão de Almeirim concede a Hilário José Barreiros a Quinta do Outeiro a título de arrendamento, e mais terras e oficinas que este também por bem achasse receber. Eis pois, como ele entendeu justificar essa sua benemerência a Hilário José Barreiros:


" Vai pois pensando no que te convém para o futuro, faz uma relação de tudo o que te convém ..., não te ponhas com cerimónias e hesitações, diz-me com franqueza tudo o que te fizer mais conta porque tudo se há-de arranjar, o que eu quero é deixar-te habilitado a poderes ganhar a tu a vida sem ficares na dependência de mais ninguém e da melhor vontade te faço isso porque sei que és merecedor de que eu te faça isso, portanto não te ponhas com acanhamentos e fala-me com franqueza no sentido que acabo de te indicar "



Para carta na íntegra clicar,   Aqui 




**********************




Um outro documento referenciado na sua biografia, é este excelente texto, intitulado "Memórias do Passado", da autoria de Adriano Carmo, "Pombalinhense" adoptivo como ele próprio se auto-identifica logo de início e em que enaltece as virtualidades das pessoas do Pombalinho, como amistosas e sempre prontas a compartilhar momentos de felicidade com o próximo. Escreve ele a dada altura, sobre Hilário José Barreiros:


"... Por outro lado, tenho bem na memória as figuras respeitáveis dos beneméritos Hilário José Barreiros e Carlos Albano, por assim dizer pais de todos e especialmente dos humildes, que sempre que recorriam à sua bondade eram recebidos com um sorriso e servidos imediatamente. O Hilário por exemplo: em ocasiões de crise de trabalho e nada haver que fazer, nunca a sua boca se abriu para dizer "não"... e inventava trabalho para os desgraçados só com o fim de minorar, um pouco a fome àqueles que a tinham nos seus lares. Era uma nobreza de caracter!Aos envergonhados, mandava também os seus criados levar-lhes a casa os seus óbulos em dinheiro ou em géneros. Foram actos que tive ocasião de observar e que amiudadas vezes se repetiam. Qualquer deles, tinha de todos que os conheciam uma simpatia aliada a um carinho muito merecido, pelo seu belo carácter, pelo altruísmo que sempre demonstraram na sua vida. ram uns verdadeiros exemplos para os daquela época. As suas memórias conservo-as como se conserva a maior das relíquias, porque eles eram uma relíquia do passado."










Biografia da autoria de seu bisneto, Fernando Furtado Barreiros, a quem obviamente o "Pombalinho" agradece esta excelente colaboração.





Sem comentários: