05 janeiro 2008

A poda da vinha!







A poda da vinha é uma actividade agrícola de carácter sazonal que normalmente ocorre no início de cada ano e antes dos rebentos das videiras começarem a brotar. É das intervenções mais exigentes no que se refere ao saber, pois do seu rigor depende o sucesso a nível produtivo de toda a colheita que, lá para finais de Agosto, irá ser transformada nos nossos afamados vinhos brancos e tintos.

Tempo houve em que no Pombalinho homens de tesoura na mão e serrote à cintura, percorriam pacientemente os vãos das vinhas, rejuvenescendo o aspecto cansado das cepas e preparando-as para mais uma saudável frutificação! Hoje os tempos são de cultivo intensivo e nas poucas vinhas que ainda restam, resultado porventura do devaneio da globalização da monocultura, impera a presença fria e implacável das máquinas!

É por isso que recordar, nesta altura do ano, os que laboriosamente pegavam nas varas ou nos sarmentos e os seleccionavam para a próxima produção vinícola, faz todo o sentido neste nosso espaço de dedicação aos valores da memória. Infelizmente, só nos propósitos de uma justa divulgação é que é possível transmitir às gerações vindouras realidades que os tempos irreversivelmente teimam em apagar. E porque achamos que o futuro só se constrói superiormente com os ensinamentos do passado, continuamos orgulhosamente por aí!

Esta fotografia refere-se a um dos últimos grupos de trabalhadores do Pombalinho que podaram as vinhas da Quinta da Casa Barão de Almeirim, não se sabendo exactamente o ano em que foi registada. De entre outros, podem-se reconhecer, António Maria,  Jerónimo Mogas,  Nicolau Mogas,  Manuel “da neta” ,  Diamantino Grais,  Peralta,  Carlos Eleutério  e  Avilez.




Ligações relacionadas –  As Vides  +   Poda das Oliveiras





Colaboração Fotográfica_João Condeço




5 comentários:

Teresa Cruz disse...

Penso que já reconheci os "cavalheiros" que estão ao lado do Eleutério: à direita Peralta e, à esquerda, Avilez. Lembro-me de os ver com o meu sogro e de terem ido ao meu casamento.Parece-me que um deles exercia funções de "guarda-livros" na Casa Barão de Almeirim.
Beijinho.
Teresa

MGomes disse...

Obrigado, Teresa! Pela identificação de mais duas pessoas desta fotografia, mas também pela revisão "cirúrgica" que operaste neste texto sobre uma das funções agrícolas quase em extinção na nossa região.

Beijinho_Bom Fim de Semana

klol disse...

Almada, terra das promessas...

visite www.jsdalmada.blogs.sapo.pt e conheça a vergonha que ocorre presentemente nos bairros camarários do Feijó e Laranjeiro.

Viver Almada, vivê-la Juntos.

Anónimo disse...

que granda bebadeira!!!!

Luis Eme disse...

É sempre agradável passar por aqui...

apesar das distâncias físicas e temporais, as coisas não deixam de ser familiares...