23 dezembro 2005

Natal e Ano Novo








Nesta Quadra que agora se aproxima, desejo a todos os visitantes desta página um Bom Natal e Feliz Ano Novo.


Em breve prosseguiremos o retomar desta vontade, que é fazer deste sitio, o reconhecimento das pessoas que de alguma maneira contribuiram para a memória da nossa terra.








23 novembro 2005

A Praça !









Estas fotografias foram tiradas em frente à Igreja do Pombalinho, decorria o ano de 1964 e ilustra a "Praça" que então se realizava nesses tempos!

 Em que consistia este encontro domingueiro de trabalhadores rurais nesta zona central do Pombalino?

A "Praça"  era  por assim dizer, uma forma dos patrões de então, ou seus representantes,  contratarem mão de obra disponível para a semana seguinte que passava por uma avaliação que faziam aos trabalhadores e que melhores  garantias lhes ofereciam para o desempenho dos trabalhos propostos.

Mas para uma completa e rigorosa descrição do que era essa forma de contratualização nesses tempos incertos e nem sempre justos,  convido-vos a uma viagem no tempo    
 NESTE TEXTO     da  autoria de Guilherme Afonso.



15 novembro 2005

O Rei da Vilafrancada








Para saber mais do rei D Miguel, aliás, D. Miguel Maria do Patrocínio João Carlos Francisco de Assis Xavier de Paula Pedro de Alcântara António Gabriel Rafael Gonzaga Evaristo de Bragança e Bourbon, que protagonizou uma noite inesquecivel no Páteo do Neto em Pombalinho clique aqui .






04 novembro 2005

Feira de São Martinho!









A minha Feira de São Martinho,
Era irmos de carroça num belo dia de sol a caminho da Golegã.
Chegar e ficar deslumbrado,
Naquele imenso movimento de pessoas.
Era o cheiro a castanhas assadas e agua pé nas adegas.
Os cavalos luzidios, montados carateristicamente a rigor.
O colar de pinhões e a bolinha multicolor, com elástico.
Os nossos pais a regatear com o feirante o preço do “fato d´oleado”.
Os botins de borracha para o Inverno, que se aproximava.
A tesoura de poda, a enxada, o serrote, sempre precisos.
O quilo de castanhas que sempre se comprava.
E o regresso feliz de um dia passado, onde tudo aquilo nos tinha pertencido, naquele domigo de Feira de São Martinho na Golegã !!!...





22 outubro 2005

Cheias de 1979




Cruzamento da Rua António Eugénio de Menezes com a Rua de Santo António. Aqui, uma das zonas mais altas do Pombalinho, só se podia atravessar com recurso a pequenas embarcações.








Vista do efeito provocado pela cheia nos campos do Pombalinho, a partir do lado Sul da Rua 1º Dezembro.






Imagem de como ficou alagada a Rua Barão de Almeirim, frente á Igreja Matriz.












Decorria o Ano de 1979 e o seu Inverno ficaria na memória de muitos Pombalinhenses, as cheias desse ano atingiriam níveis nunca antes alcançados. Nas zonas mais baixas do Pombalinho a água entrou dentro das habitações colocando em alvoroço os moradores, que numa grande inquietação salvaram o que puderam para sotãos e refúgios mais elevados das próprias casas. Na rua principal da aldeia a força das águas alagou moradias e abriu enormes valas na própria estrada, impossibilitando já depois na fase do rescaldo, a circulação rodoviária por tempo indeterminado.


Nas fotografias tiradas na Rua Barão de Almeirim e na Rua 1º de Dezembro assim como neste recorte de jornal do "O Diário" ( cedido gentilmente pelo Fernando Leal), ilustra-se um pouco a catástrofe provocada pela subida anormal das águas do Tejo, nesse dramático ano de 1979 para a população do Pombalinho.


Para Blog temático Clicar em  Cheias Pombalinho  









12 outubro 2005

O "Pombalinhense"


A razão da criação da página o "Pombalinho" residiu essencialmente na necessidade de fomentar um ambiente on-line que propiciasse pela memória, o reavivar de valores que de algum modo estivessem ligados ao Pombalinho.

Humildemente penso que resultou, apesar de estarmos ainda no inicio desta caminhada. Há que continuar na exploração da ideia, da qual é imprescindível que haja de todos os que puderem, uma  colaboração  "bairrista"!   Para a isso caros conterrâneos, basta um e-mail dirigido ao autor destas linhas com um qualquer material que achem de utilidade a poder contribuir para o enriquecimento desta nossa página e o Pombalinho certamente agradecerá.

Recentemente uma outra questão me foi despertada: porque não disponibilizar igualmente a todos os interessados, noticias correntes do Pombalinho? A ideia era engraçada, reconheço, só que os assuntos a inserir no "Pombalinho" ficariam desenquadrados de tudo o que está publicado até hoje, e tinham efeito desequilibrador em relação à génese da sua construção, que é a memória do Pombalinho.

 Sendo assim nada mais me restou do que avançar para a criação de uma nova página onde figurasse noticias da nossa terra, de modo a que todos pudessem desta forma acompanhar mais em cima do tempo, o que por lá se vai passando. Baptizei-o com o nome de " O Pombalinhense", comecei pelo INÍCIO, já lá coloquei os resultados das últimas Eleições Autárquicas e agora espero ansiosamente noticias e/ou críticas de todos vós para fazer deste novo espaço, um jornal on-line do Pombalinho.


 Visitem por favor http://opombalinhense.blogspot.com/ e se quiserem podem contactar-me para o seguinte endereço: mgomes28@gmail.com.




04 outubro 2005

Pombalinho na Web!



Desde a data da sua criação, já passaram quarenta e um dias. Foi com muito entusiasmo e alguma expectativa que me propus a avançar para esta aventura de imaginar  um espaço pensado e dedicado ao Pombalinho onde de uma forma despretenciosa se pudesse dar a conhecer e falar da nossa terra.

 Não houve qualquer estratégia pensada ao nível da edição da página, apenas brotava uma enorme vontade de divulgação de personalidades e factos que tivessem algum relevo na história da nossa aldeia. Para isso contribuíu de forma irrecusável uma ideia orientadora que se traduziu em pouco tempo num caminho irreversível. Que foi  reunir e condensar numa só página da internet, acessível a todo o mundo, matéria suficiente para dizer que o Pombalinho afinal sempre tem história(s) e ainda existe!

E é nesta simples mas saudável tarefa, que me congratulo em verificar que hoje a nossa página já é divulgada em vários sites da internet, nomeadamente no http://www.ribatejodigital.pt/ribatejodigital/PT , basta clicar em Directorio e depois Sociedade, ou nos motores de Busca http://blogsearch.google.com/ , http://yahoo.com/ e http://www.aeiou.pt/ , bastando preencher Pombalinho e depois procurar.

Por último, uma palavra de reconhecimento pela prestável colaboração dos nossos amigos Guilherme Afonso e Fernando Leal, no fornecimento das suas “Memórias” e “Documentação histórica sobre o Pombalinho”, respectivamente. Se me permitem, uma última palavra dirigida a todos os Pombalinhenses, ousem a conhecerem-se melhor: leiam as “Memórias ” condensadas ou distribuídas temáticamente, nos links da coluna esquerda desta página.











14 setembro 2005

Homenagem Prof Ensino Primário!

















Esta a minha singela homenagem, às Professoras Maria José e Verónica Nunes, por tudo o que fizeram na área do ensino primário no Pombalinho. As suas longas vidas de docentes foram transversais a várias gerações de homens e mulheres da nossa terra. Ficarão para sempre nas nossas memórias pela dedicação, rigor e uma postura inesquecível como mulheres preocupadas como sempre estiveram, na elevação dos níveis de escolariedade de todos aqueles que passaram pela velhinha Escola da Rua Carolina Infante da Câmara e depois mais tarde na chamada Escola Nova.








12 setembro 2005

Picaria em 1968!






As chamadas Picarias eram acontecimentos frequentes no Pombalinho. Tinham lugar habitualmente na Rua Carolina Infante da Câmara, onde com carroças e mais tarde reboques dos tractores agrícolas se improvisavam as bancadas para os espectadores e as trincheiras para os mais ousados destas "lides" tauromáquicas. Aqui se relembra um desses acontecimentos em Agosto de 1968.



10 setembro 2005

O Adeus de José Tinoca!














Já que estamos a recordar eventos de âmbito tauromáquico, é obrigatório lembrar a homenagem de despedida de uma figuras mais marcantes  da festa brava  em Portugal. Trata-se do nosso bem conhecido  José Tinoca.  Bandarilheiro durante toda a sua vida de dedicação ao mundo tauromáquico, tem hoje na agricultura uma outra actividade complementar a que se entregou em paralelo com algumas presenças ao nível da direcção de corridas de touros realizadas um pouco por todo o país.

José Tinoca, sempre de uma enorme afabilidade para com as suas gentes, é natural de Reguengo de Alviela, mas é no Pombalinho que vive desde jovem e tem passado grande parte da sua vida.


 Aqui se regista documentalmente a sua festa de despedida, juntamente com outra grande figura da Golegã, Manuel Badajoz.




08 setembro 2005

Toiros de morte no Pátio do Neto !










Um recorte de jornal  do Correio do Ribatejo de 17 de Dezembro de 1966, amávelmente cedido por Guilherme Afonso! Descreve  uma tourada realizada no Pombalinho no ano de 1824 com  presença de D. Miguel de Bragança!

Por  entendermos da importância que este  acontecimento teve e ainda tem, com toda a certeza, para a história do Pombalinho, publicamos o respectivo artigo  desse reconhecido jornal ribatejano. Atente-se, na riqueza de pormenores e no apurado estilo (palavras de Guilherme Afonso) com que o autor deste artigo nos presenteia nesta crónica jornalística.







Teatro no Pombalinho - 3




Já nos tempos "modernos", pelo ano de 1988,  houve uma corajosa tentativa de retomar o Teatro no Pombalinho, mas devido a vicissitudes próprias da época ficou-se apenas por esta representação. Aqui fica o registo documental do evento.





07 setembro 2005

Teatro no Pombalinho - 2





Mais um exemplo de que pela vertente artística (teatro e variedades), a disponibilidade e vontades deste punhado de pessoas, eram desígnios importantes em prol do bem estar do Pombalinho.

Foi no dia 15 Março de 1959 e as peças foram "Culpa e Perdão" e  "Atribulações do Anacleto", com Variedades na parte final.


 

Teatro no Pombalinho - 1









Assim foi correspondido o apelo do post anterior pela prestável colaboração do Fernando Leal! Assim sendo foi possível identificar e reavivar das nossas memórias com imensa saudade, todos aqueles que colaboraram na peça Flor de Aldeia levada à cena em 1958, da qual a fotografia anterior é talvez dos poucos registos fotográficos existentes.





01 setembro 2005

Teatro no Pombalinho





Pelos finais da década de cinquenta, do século passado, um punhado de homens e mulheres do Pombalinho tomaram a iniciativa de pela via da representação teatral, angariar dinheiro para a compra da primeira ambulância da nossa terra!

 Por esta coragem e vontades, aqui vos deixo o registo fotográfico da iniciativa que levaram a cabo, nunca sendo demais de realçar a nobreza do acto para com os seus  conterrâneos.


( Na fotografia, Manuel Gomes (Calvaria), à esquerda,  contracena com Duarte Cruz, à direita,  na peça levada à cena, " A Flor da Aldeia". )








No verso da fotografia esta pequena curiosidade: no carimbo do Foto-Nogueira da Golegã, a numeração telefónica nacional, ainda na ordem dos quatro dígitos!!!





28 agosto 2005

Uma certa 3ª Classe...




Com a simpática disponibilidade do nosso conterrâneo Guilherme Afonso, a viver em Maputo, relembro-vos neste testemuho fotográfico, por ele enviado, um pedacinho das nossas memórias de uma certa 3ª classe do Ensino Primário do Pombalinho.



Para Blog Temático clicar em   Escola Pombalinho 







26 agosto 2005

Pombalinho, através dos tempos


Freguesia pertencente ao Concelho e distrito de Santarém tem por Orago Santa Cruz. Fica situada no Vale do Tejo (margem direita do maior Rio de Portugal), nas estrada Golegã - Santarém. Como referência localiza-se: 20 Km a NE de Santarém, 7 Km a NE de Vale de Figueira, 2 Km a S de Mato Miranda, 9 Km a S da Golegã, 3 Km a S da Azinhaga e 3 Km do Rio Tejo.

 A Povoação não se sabe quando foi criada, mas parece já ter existido no tempo dos Romanos, em consequência de nela se terem feito descobertas, como seja uma sepultura de tijolo que continha dentro, vasos de vidro e vários objectos metálicos, e ainda mais recentemente, uma calçada Romana feita de paralelipípedos de várias cores, assim como numerosas moedas, tudo isto, pensa-se do Século II. Crê-se ser também desta altura os vestígios que ainda hoje se encontram de algumas Pontes de características Romanas, e de uma outra sobre o Rio Tejo que ligava o Pombalinho á Cidade Romana que era Morom.

Em 1606 desligou-se da Freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Almonda, do Lugar de Azinhaga, tornando-se independente a partir daí. Neste mesmo século foi construída a Igreja paroquial de Santa Cruz do Pombalinho, que substituiu a antiga Igreja Matriz, destruída no seu interior por sucessivas Cheias. Desde esta altura e até aos nossos dias, é possível encontrar os registos de casamentos, óbitos e baptizados realizados nesta terra, em arquivo na Torre do Tombo em Lisboa.

Durante algum tempo denominou-se Pombal, adoptando posteriormente o diminuitivo para distinguir de outras povoações de igual nome. Quando das invasões Francesas, por aqui passaram as tropas de Junot que curiosamente mataram a sede num poço ainda existente nesta terra. Existia uma Casa Brazonada, que era o antigo palacete do Barão de Almeirim, que foi destruído por violento incêndio no dia 9 de Dezembro de 1870, e mais tarde reconstruído ainda que não respeitando o estilo arquitetónico original.

Pela Estrada Real passaram os Reis, aquando das suas deslocações de Lisboa para Coimbra ou vice-versa. Na Estalagem do Pocinho pernoitava o Rei D.Miguel quando das inúmeras visitas que fazia ao Pombalinho.

Em 1837 esta freguesia aparece na Comarca de Santarém, em 1884 na Comarca da Golegã e em 1902 novamente na de Santarém. No ano de 1861 tinha 600 habitantes, em 1900 tinha 820 e em 1940 já habitavam 1136 pessoas. Ainda como curiosidade refira-se que o Pombalinho escapou ileso a dois grandes terramotos, o de 1441 e de 1758.

Em 25 de Novembro de 1885 é oferecida graciosamente à Freguesia, pelo Sr. Visconde Porto Carrero, um edifício que antes tinha sido servido de celeiro e de moradia habitacional para aí funcionar a primeira Escola Primária de ambos os sexos, o que aconteceu até 1965, altura em se construiu o Edificio e onde até aos dias de hoje se ministra o Ensino Primário. Em 1908 o Pombalinho tem os serviços de um Médico e de uma farmácia, sendo também no inicio do século XX que se forma a Filarmónica "União e Recreio" por onde passaram muitos músicos até ao final de 1929. Em 1914 é construída a conhecida Ponte de Pau (Fernão Leite) sendo substituída em 1938 e também uma Praça de Touros em Madeira e com camarotes, que teve uma existência muito curta uma vez que após uma corridas com vacas, é desmontada ainda nesse mesmo ano. Em 1928 é formado o Grupo Musical Recreativo-Tuna, já com instrumentos de corda, e que teve existência até por volta do ano de 1937.

Entretanto em 1936 fundou-se a Casa do Povo de Pombalinho , entidade que se encontra ainda hoje em actividade e com sede própria. No domínio desportivo é formado o Clube designado por Vera Cruz Futebol Clube em 1933, tendo depois por volta dos anos 40, terminado a sua existência. Em 1960 o Futebol arranca de novo e de uma forma decisiva, participando nos Campeonatos da FNAT, actualmente INATEL até aos dias de hoje. De referir que o recinto Desportivo onde actualmente o Clube joga localizado no Casal Barrão (cujo proprietário era o Sr. António Menezes) é propriedade da Junta de Freguesia do Pombalinho e foi escriturado nas Finanças de Santarém a favôr desta autarquia por troca com o velhinho Campo das Ónias doado na altura a este clube pelo Sr. Manuel Assunção Coimbra e hoje pertença do Dr. Carlos Menezes por troca com o Casal Barrão.

Ao longo de todo o século os acontecimentos recreativos eram uma constante entre a população, nomeadamente bailes, picarias, e outros. As representações teatrais, tiveram o seu apogeu durante a segunda metade dos anos quarenta e toda a década 50, tendo diminuído imenso a partir desta data. Também o Grupo de Danças e Cantares teve a sua existência por alturas de 1950, ainda que com actuações esporádicas e com a contribuição de apenas uma concertina. Grandiosos festejos por honra de S.Sebastião e Nossa Senhora das Dores, aconteceram muitas vezes e de onde se destaca os anos de 1919, 1942, 1948 e o período de 1975 a 1984.


Grande acontecimento religioso, foi a visita de Nossa Senhora de Fátima no ano de 1954.É nos anos sessenta que surge a energia eléctrica no Pombalinho, substituindo o famoso candeeiro a petróleo, que durante tantas gerações iluminou as noites de todos nós. Registe-se a realização de uma festa de Homenagem á figura do Dr. Semedo, no ano de 1982, assim como também às Professoras de D.Maria José e D. Verónica. portadoras e transmissoras do Ensino Básico a tantos pais e filhos desta terra. Recentemente, mais própriamente no ano de 2003, procedeu-se á construção de uma Estação de Tratamento de Àguas Residuais (ETAR), para finalmente solucionar-se o problema dos esgotos a céu aberto.




25 agosto 2005

INÍCIO


É sempre entusiasmante dar início a qualquer projecto que passe pela vontade simples de comunicar ou simplesmente de conhecer! Conhecer  ainda mais  do que gostamos e do que é nosso! Das nossas origens! Das ruas onde brincamos e crescemos! Do nosso Pombalinho!



Partindo deste pressuposto, desejo muito vir a criar expectativas quanto a um possível  diálogo entre todos aqueles que prezam a identidade de causas e valores na base da dignificação da terra onde nascemos! E claro está,  a  defesa das nossas raízes! Assim sendo, vamos então a isso, falando do nosso Pombalinho,  das suas gentes e dos valores que nos foram transmitidos ao longo de toda a sua história!!!