14 setembro 2005

Homenagem Prof Ensino Primário!

















Esta a minha singela homenagem, às Professoras Maria José e Verónica Nunes, por tudo o que fizeram na área do ensino primário no Pombalinho. As suas longas vidas de docentes foram transversais a várias gerações de homens e mulheres da nossa terra. Ficarão para sempre nas nossas memórias pela dedicação, rigor e uma postura inesquecível como mulheres preocupadas como sempre estiveram, na elevação dos níveis de escolariedade de todos aqueles que passaram pela velhinha Escola da Rua Carolina Infante da Câmara e depois mais tarde na chamada Escola Nova.








12 setembro 2005

Picaria em 1968!






As chamadas Picarias eram acontecimentos frequentes no Pombalinho. Tinham lugar habitualmente na Rua Carolina Infante da Câmara, onde com carroças e mais tarde reboques dos tractores agrícolas se improvisavam as bancadas para os espectadores e as trincheiras para os mais ousados destas "lides" tauromáquicas. Aqui se relembra um desses acontecimentos em Agosto de 1968.



10 setembro 2005

O Adeus de José Tinoca!














Já que estamos a recordar eventos de âmbito tauromáquico, é obrigatório lembrar a homenagem de despedida de uma figuras mais marcantes  da festa brava  em Portugal. Trata-se do nosso bem conhecido  José Tinoca.  Bandarilheiro durante toda a sua vida de dedicação ao mundo tauromáquico, tem hoje na agricultura uma outra actividade complementar a que se entregou em paralelo com algumas presenças ao nível da direcção de corridas de touros realizadas um pouco por todo o país.

José Tinoca, sempre de uma enorme afabilidade para com as suas gentes, é natural de Reguengo de Alviela, mas é no Pombalinho que vive desde jovem e tem passado grande parte da sua vida.


 Aqui se regista documentalmente a sua festa de despedida, juntamente com outra grande figura da Golegã, Manuel Badajoz.




08 setembro 2005

Toiros de morte no Pátio do Neto !










Um recorte de jornal  do Correio do Ribatejo de 17 de Dezembro de 1966, amávelmente cedido por Guilherme Afonso! Descreve  uma tourada realizada no Pombalinho no ano de 1824 com  presença de D. Miguel de Bragança!

Por  entendermos da importância que este  acontecimento teve e ainda tem, com toda a certeza, para a história do Pombalinho, publicamos o respectivo artigo  desse reconhecido jornal ribatejano. Atente-se, na riqueza de pormenores e no apurado estilo (palavras de Guilherme Afonso) com que o autor deste artigo nos presenteia nesta crónica jornalística.







Teatro no Pombalinho - 3




Já nos tempos "modernos", pelo ano de 1988,  houve uma corajosa tentativa de retomar o Teatro no Pombalinho, mas devido a vicissitudes próprias da época ficou-se apenas por esta representação. Aqui fica o registo documental do evento.





07 setembro 2005

Teatro no Pombalinho - 2





Mais um exemplo de que pela vertente artística (teatro e variedades), a disponibilidade e vontades deste punhado de pessoas, eram desígnios importantes em prol do bem estar do Pombalinho.

Foi no dia 15 Março de 1959 e as peças foram "Culpa e Perdão" e  "Atribulações do Anacleto", com Variedades na parte final.


 

Teatro no Pombalinho - 1









Assim foi correspondido o apelo do post anterior pela prestável colaboração do Fernando Leal! Assim sendo foi possível identificar e reavivar das nossas memórias com imensa saudade, todos aqueles que colaboraram na peça Flor de Aldeia levada à cena em 1958, da qual a fotografia anterior é talvez dos poucos registos fotográficos existentes.





01 setembro 2005

Teatro no Pombalinho





Pelos finais da década de cinquenta, do século passado, um punhado de homens e mulheres do Pombalinho tomaram a iniciativa de pela via da representação teatral, angariar dinheiro para a compra da primeira ambulância da nossa terra!

 Por esta coragem e vontades, aqui vos deixo o registo fotográfico da iniciativa que levaram a cabo, nunca sendo demais de realçar a nobreza do acto para com os seus  conterrâneos.


( Na fotografia, Manuel Gomes (Calvaria), à esquerda,  contracena com Duarte Cruz, à direita,  na peça levada à cena, " A Flor da Aldeia". )








No verso da fotografia esta pequena curiosidade: no carimbo do Foto-Nogueira da Golegã, a numeração telefónica nacional, ainda na ordem dos quatro dígitos!!!