25 agosto 2009

Completamos 4 anos!






Faz hoje precisamente quatro anos que iniciamos esta aventura de contar histórias sobre o Pombalinho e as suas gentes!

Partir à descoberta de um Pombalinho por contar e incompreensívelmente longínquo do conhecimento de muitos de nós, foi um desafio a que nos propusemos com muita dedicação e também alguma dose de inconformismo!

De uma natural expectativa criada, queríamos aprofundar a identidade dos pombalinhenses! E por isso, moveu-nos a vontade de redescobrir caminhos percorridos pelos que nos antecederam na edificação desta bonita e simpática aldeia ribatejana!

Sabíamos de quem tivesse contribuído para a construção daquilo que é hoje o Pombalinho! E das motivações que, para num feliz abraço à vida, terem escolhido esta esta terra como horizonte dos seus destinos!

Era importante que os conhecêssemos, que fossemos mais longe na divulgação dos seus méritos ou de simples, mas não menos importantes, dedicações em prol da comunidade! Para isso, sensibilizamos vontades e acedemos a importantes registos documentais sobre a vida de homens e mulheres que enquanto trabalhavam afincadamente no equilibrio social das suas famílias, ainda lhes sobrava tempo e alma para se dedicarem, ao folclore, ao teatro ou ao desporto, e deste modo contribuírem para a edificação social do Pombalinho!

Por isso prestamos aqui neste espaço, reconhecimentos a pessoas que julgamos de referência pelo que fizeram em áreas de bem estar e desenvolvimento sociais tão importantes, como a saúde, o ensino e a cultura!

Quatro anos depois, podemos orgulhosamente reconhecer que alguns degraus já foram alcançados desta desafiante escadaria que é a história do Pombalinho e um pouco da história de todos nós!

Pensamos obviamente que muito está ainda por fazer a favor da nossa terra, e que a continuidade deste projecto necessitará sempre do apoio dos seus actuais e antigos residentes que com interresse se têm disponibilizado no abrir dos baús das suas memórias! E aos quais manifestamos todo nosso apreço e gratidão pelo que de valioso tem contribuído para a consolidação deste espaço.

Continuemos pois então a manter a bandeira das convicções pombalinhenses, hasteada bem lá no cimo e a valorizar este pequeno mas importante património histórico em benefício de uma memória colectiva da qual todos nos devemos orgulhar!


Texto de Manuel Gomes
Colaboração de Bruno Cruz 


NOTA - Este texto foi escrito em 30 de Julho e ficou agendado em "piloto automático" para ser publicado hoje, dia 25 de Agosto de 2009. 





12 agosto 2009

Manuel Monteiro Barbosa





Manuel Monteiro Barbosa nasceu na freguesia de Atalaia, concelho de Vila Nova da Barquinha, no ano de 1892.

Fixou-se na Quinta da Melhorada a trabalhar para João D’Assumpção Coimbra vindo a casar com Maria Coimbra, filha deste abastado proprietário. Deste matrimónio descende um filho que nasceu a 21 de Outubro de 1925 e a quem foi dado o nome de Manuel João Coimbra Monteiro Barbosa.





Manuel Monteiro Barbosa com seu filho Manuel João, na feira da Golegã.



Manuel Monteiro Barbosa foi proprietário de imensas terras na região, entre as quais a Quinta da Melhorada que herdou do sogro, fazia também criação de cavalos, que eram a sua grande paixão.
Residiu onde hoje é a sede da Junta de Freguesia, tendo sido seu presidente no período de 07 de Janeiro de 1938 a 07 de Janeiro de 1942. Num acto de elevada benemerência, doou o edifício às autoridades locais do Pombalinho.

Seu nome consta da toponímia do Pombalinho.



Fotos gentilmente cedidas por Manuel João Coimbra Monteiro Barbosa e sua esposa DªMaria dos Anjos Coimbra Barbosa.
Pesquisa de Bruno Cruz.



10 agosto 2009

Casa anexa à Igreja Paroquial!




"Cópia=Auto de entrega=Aos vinte e oito de Novembro de mil novecentos e trinta e um neste lugar e freguesia do Pombalinho, deste Concelho de Santarém, onde eu António Manoel Baptista, Comandante da Polícia especialmente assim acompanhado do Secretário deste Comando de Polícia José Franco das Neves Júnior, para efeito de dar cumprimento ...



Assim começa o documento redigido pela Polícia Cívica do Distrito de Santarém, que formaliza a entrega da casa anexa à igreja paroquial, às entidades oficiais do Pombalinho. O aspecto porventura que maior curiosidade despertará ao lermos hoje este documento, foi o destino a ser dado à sala depois de realizadas as necessárias obras de melhoramentos! Mas vamos ao restante teor de mais um importante documento para a história do Pombalinho!

 




... ao ofício do processo número treze mil seiscentos e trinta e dois, livro número quatorze a folhas número duzentas e vinte e nove, primeira secção de vinte e três de Novembro último, da Comissão Jurisdicional dos Bens Culturais e fazer entrega à Junta da referida freguesia do Pombalinho, composta dos cidadãos Joaquim Gonçalves Ferreira, Francisco Maria Borges ...






... e António Carvalho, de uma casa junto da igreja paroquial da citada freguesia do Pombalinho, para ser aproveitada para sala de sessões e guarda do arquivo, com a condição de a referida Junta aqui proceder às obras necessárias para completa reparação da casa e com a obrigação de fazer uma escada que dê acesso ao púlpito da igreja paroquial e cuja casa confronta do Norte com a rua pública do Sul da igreja, do Nascente com o cemitério velho e do Poente com a rua pública. e para constar se lavrou o presente auto que depois de lido vai por todos assinado: eu José Franco das Neves Júnior, secretário do Comando que o ruberevo e assino= ...








... (aa) António Manoel Baptista, Joaquim Gonçalves Ferreira, Francisco Maria Borges, António Carvalho José Franco das Neves Júnior.
Está conforme = Secretário do Comando da Polícia de Segurança Pública do Distrito de Santarém , 26 de Janeiro de 1932 = O Secretário do Comando assinatura "



Documento gentilmente cedido por Luís Filipe Júlio

Colaboração de Bruno Cruz






08 agosto 2009

Rua Carolina Infante da Câmara



Antiga fotografia da Rua  Carolina Infante da Câmara.




Foto amávelmente cedida por Manuel João Coimbra Monteiro Barbosa.
Colaboração de Bruno Cruz