31 julho 2014

Curso Costura em 1972



Curso de Costura realizado no Pombalinho no ano de 1972.

Reconhecem-se, nesta fotografia tirada frente à actual sede da Junta de Freguesia do Pombalinho, Padre Lage, Fernanda Cavaco, Maria Eugénia,  Isabel Grais, Odete Cavaleiro, Lucília, Carolina, Helena Duarte, Victória da Silva, Gena, Otília, Maria Júlia  e  Lurdes Gomes.


Na última fila  e ao centro desta,  um senhor da Azinhaga, de nome Ludgero, que era o responsável pela representação da  famosa marca de máquinas de costura Singer na região.





17 julho 2014

Ponte Fernão Leite


A Ponte de Fernão Leite, a ponte da nossas memórias, continua a fornecer-nos espantosas fotografias de gentes do Pombalinho em momentos prazenteiros de enorme alegria e descontracção! Ir ao encontro dessa  histórica infraestrutura viária e suas zonas envolventes,  era motivo mais que suficiente para uns belos passeios domingueiros!

Estas fotos referem-se precisamente uma dessas caminhadas e  foram tiradas em finais da década cinquenta do século passado. Vale a pena recordar!





Maria Adelaide Leal,  Cremilde Barão,  Maria Isabel Cachado e atrás (meio encoberta),  Francisca Reis.






Maria Adelaide Leal  e  Lurdes Teixeira.
  






Maria Helena Cachado,  Adelaide Leal,  Maria Isabel Cachado,  Cremilde Barão e  Francisca Reis.







Maria do Carmo,  Fernanda Bispo,  Suzélia Braz,  Maria Adelaide Leal,  Fátima Cavaco,  Maria Helena e Lucilia Cordeiro.






Colaboração de  Paulo Carvalho e Bruno Cruz.



Nota - Estas fotos estão naturalmente inseridas no blog temático   Ponte Fernão Leite   








13 julho 2014

Aniversário do Pombalinho!





Faz hoje 408 anos que o Pombalinho se desanexou da freguesia de Nossa Senhora da Conceição do Almonda, por provisão do ilustríssimo Miguel de Castro, Arcebispo de Lisboa.

É enorme a História desta centenária terra ribatejana! Muito dela se tem contado!  Das suas gentes, dos seus hábitos e das suas tradições! Muitos dos que nasceram e partiram, continuam a sentir, onde quer que se encontrem , a  proximidade emocional da sua terra!  Esse é porventura o maior legado do qual o Pombalinho e as suas gentes se orgulharão! 


Alimentar as raízes Pombalinhenses  é  o caminho que escolhemos neste espaço e no qual, militantemente, continuaremos! Pelo Pombalinho e por todos os que desta terra fizeram a razão da sua História.