29 maio 2010

Trabalhos de ontem I

Vidas

Os trabalhos do campo eram normalmente exercidos por quem não tinha aprendido um ofício! Quem não fosse pedreiro, carpinteiro, serralheiro, etc... e tivesse que trabalhar na agricultura, era designado e conhecido por trabalhador do campo!
O esforço físico dispendido exigia muita capacidade de resistência e só o recurso à prestação de muares no acompanhamento de algumas tarefas, como o de transporte de cargas pesadas e nas lavoiras, permitia que muitos dos trabalhos fossem concretizados! Eram tempos a ritmos diferentes dos de hoje! Afinal..., ainda estávamos longe daquela que viria a ser a tão desejada mecanização agrícola!!!



Colaboração fotográfica – Pedro Menezes e Bruno Cruz


3 comentários:

M. Lourdes disse...

Olá amigo Manuel
À minha região, devido à morfologia do terreno, é difícil chegar algum dia a tão desejada mecanização agrícola. Ainda hoje todo o trabalho do campo é feito à custa da força dos braços sendo, possivelmente, uma das razões que contribuem para a sua desertificação. Por outro lado, a mecanização também acabou com os postos de trabalho a que sazonalmente recorriam na "borda d'água". Para além disso não se criaram formas alternativas de ganhar a vida e as pessoas tiveram que as ir procurar para outros locais do país.
O Pombalinho tem todas as condições para se desenvolver e o amigo Manuel, nos seus "blogs" está a contribuir muito para o divulgar.
Beijinhos
Lourdes

MGomes disse...

Olá amiga Lourdes!

Muito obrigado pela visita mas também e acima de tudo pelas palavras!
É claro que Sobral Magro tem uma realidade um pouco distante da do Pombalinho. São de regiões tipicamente diferentes mas talvez ambas as localidades padeçam de alguns problemas comuns, fruto de um desenvolvimento mal sustentado, que nunca levou em linha de conta as necessiadades locais. Hoje confrontamo-nos com uma situação bastante difícil, que é na verdade a desertificação das nossas terras! Veja só a minha, que em tempos, há muitos anos mesmo, foi procurada pelas populações do Alentejo e até da zona litoral do país na busca de trabalho que lhes garantisse um futuro para as suas famílias. Hoje também o Pombalinho está a ser afectada pelo "tal desenvolvimento" !!!
O problema não é simples de resolver, é um facto, mas tenhamos nós vontade de o manter na linha das nosssas preocupações, e um dia, quem sabe, as coisas modificar-se-ão!!!

Beijinho!
MGomes

Anónimo disse...

O Senhor com taco na mão anda a jogar GOLF?